Paris

Visitar a cidade luz é estar imerso em arte, música, culinária e uma arquitetura rica em detalhes e estilos.

Fiz um intercâmbio universitário em Paris e por 7 meses chamei a cidade de casa. Vivi como os parisienses, andei por aquela cidade que habita o imaginário de tantas pessoas no mundo inteiro como uma local e fiz fartas refeições regadas a muito queijo e vinho.

Vou tentar contar ao longo dos próximos posts o que não se pode deixar de visitar quando se viaja à Paris, as comidas que se deve provar, os museus que valem a visita e as experiências que eu acho imperdíveis.

escada

Primeiramente, a capital francesa é uma Meca da moda e inúmeras opções de compras para todos os gostos e bolsos podem ser encontradas lá. Desde a icônica Champs-Elysée com seus milhares de turistas, passando pelo descolado Marais até as mundialmente famosas Galleries Lafayette.

No intervalo das compras, a parada em um dos milhares de cafés da cidade é uma pedida obrigatória. Não se deixe enganar, cada um deles tem a sua especialidade e um dos meus favoritos, o Angeline, localizado no 1ieme nos leva à tempos antigos com muito refino e delicadeza nos ingredientes e serviço.

Quando o assunto são os pontos turísticos, a ampla variedade percorre dos museus às òperas, dos monumentos às igrejas e cada pedaço da cidade parece ter muito a oferecer.

sacré- coeur 2

Em minha opinião,o que não se pode deixar de visitar em Paris é sem duvida: a Torre Eiffel e a região da Champs Elysee e Arco do Triunfo. Esses três pontos concentram um número enorme de turistas e valem a visita, afinal não há como ir às Paris e não ter uma foto com Torre ao fundo.

Não muito longe dali, o Louvre e seu imponente acervo,que pode levar a vida inteira para se conhecer, mas escolhendo bem e estabelecendo prioridades, em uma tarde ali dentro pode-se passear pelo barroco italiano, pelo renascimento, Grécia Antiga e flertar com o Egito. O museu é enorme, conta com restaurante, loja de souvenir e um áudio guia muito interessante pra tornar a sua visita mais agradável.

Ainda no quesito museu, um dos meus favoritos, o Musée D`Orsay às margens do Sena é charmoso, muito menor e igualmente recheado de obras de arte incríveis. No verão seus terraços garantem ótimas fotos da cidade.

Minha área favorita da cidade (e que terá um post só pra ela) a Rive Gauche dos artistas, dos descolados, dos alunos da Sorbonne e dos que se rendem aos encantos do Quartier Latin e das badaladas da Notre Dame.

paris mari azul

Turistar em Paris e não comer um crepe às margens do Sena ou tomar uma sopa de cebola no charmoso bairro de Montmartre é impensável. A culinária faz parte da vida do francês e ignorá-la em sua viagem constitui um erro irreparável.

Fiquem de olho nos próximos posts que irão detalhar a Rive Gauche, te levar fazer compras em Paris e descobrir os bairros que estão em evidência pra quem mora por lá; além de saber o que fazer na noite parisiense com dicas de como garantir a sua entrada nas concorridas festas da cidade.

Em quanto isso,continuem acompanhando nossa coluna de daytrips e viaje para o Castelo de Versailles, há 30 e poucos quilômetros do centro da capital francesa. Acompanhe também os festivais que começam a esquentar o verão europeu.

France 2 recortada

Comments

comments

Tags:
Maria Alice & Rafael
hello@fastencitybelt.com.br

Um casal apaixonado pela aventura de ver o mundo com outros olhos, fotografar por outros ângulos e passear por lugares óbvios em busca do incomum. A ideia do site nasceu da união da profissão do Rafael como fotógrafo e das oportunidades de viagem que os estudos da Maria Alice proporcionaram, somado as viagens que sempre fizemos como hobby.